Cirurgiões-Dentistas do Rio de Janeiro

O MOVIMENTO DA SAÚDE que luta por melhorias salariais, condições dignas de trabalho, implantação do PCCS e concursos públicos, envolvendo os servidores da rede municipal de saúde do Rio de Janeiro, a cada dia ganha mais força.

O SINDICATO DOS CIRURGIÕES-DENTISTAS/RJ tem participado das atividades do Movimento através dos representantes Ricardo Coutinho (Hospital Lourenço Jorge), Antônio Luiz Parada e José Roberto Corrêa (diretores do SCDRJ). Nos meses de maio e junho foram realizadas Assembléias nos Hospitais Municipais Souza Aguiar, Lourenço Jorge e Miguel Couto. Os pontos básicos da pauta unificada são: piso salarial de R$ 9.188,22, implantação do PCCS para ativos e aposentados, condições dignas de trabalho, concursos públicos, equiparação salarial entre estatutários e contratados por OS’s.

O SCDRJ realizou um levantamento detalhado da situação geral da odontologia no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde e constatou a existência de diversas distorções salariais nos contracheques entre os servidores cirurgiões-dentistas lotados em cerca de 115 unidades (hospital de urgência/emergência, adolescentro, centro de especialidades odontológica (CEO), centro municipal de saúde (CMS), centro municipal de reabilitação, clínica da família, hospitais municipais, policlínica, postos de assistência (PAM), postos de saúde (PS), postos de saúde da família (PSF) e unidades integradas de saúde (UIS)). Embora sendo casos isolados, tais distorções podem ser facilmente solucionadas por via administrativa já que não interferem na dotação orçamentária.

O SCDRJ oficiou ao prefeito Eduardo Paes para que todos os cirurgiões-dentistas lotados na urgência/emergência façam jus a produtividade prevista no Decreto 20785 e que esta seja definitivamente incorporada ao vencimento básico. Existem ainda, servidores que deixaram de receber o abono prêmio por desempenho, por encontrarem-se em licença saúde ou de outra natureza.

Em relação as condições de trabalho existem unidades que sequer dispõem de consultórios odontológicos ou outros equipamentos indispensáveis ao exercício profissional. Segundo o representante sindical Ricardo Coutinho a adesão ao Movimento é a garantia das conquistas contidas na pauta unificada.

Na Assembléia Geral do Hospital Souza Aguiar foi aprovado por unanimidade a decisão de que a partir de 03/07 (2ª feira) os servidores não preencherão as guias de AIH e as internações ocorrerão através de fichas de anamnese e BE.

Participe e Divulgue!!!

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.