Imbra S/A: O retrato da odontologia de mercado

Certamente não será a primeira nem a última vez que cirurgiões-dentistas e pacientes serão vítimas de empresários inescrúpulosos que, aplicam seus golpes milionários favorecidos pela mercantilização da odontologia.

Em outubro a empresa de implantes dentários, Imbra S/A, com 26 filiais em 11 estados, cerca de 3 mil cirurgiões-dentistas colaboradores e uma carteira com aproximadamente 25 mil clientes, entrou com pedido de auto-falência na 2ª Vara de Recuperação Judicial e Falência da capital paulista, envolvendo R$ 225 milhões.

Há anos, o SINDICATO DOS CIRURGIÕES-DENTISTAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, denuncia as grandes mutretas que ocorrem na odontologia empresarial, tendo sempre como pano de fundo as fraudes a legislação trabalhista e o total desrespeito ao exercício profissional.

A exemplo de outras especialidades, os implantes dentários transformaram-se em mercadorias de lojas de conveniências. A regra tornou-se excessão. A Imbra, por exemplo, servia-se de requintada mídia televisiva e impressa para iludir a população com a expectativa de tratamento de qualidade a preço de banana, capitando dinheiro fácil sem a garantia da contrapartida do atendimento, como se isso fosse possível. A quebra era inevitável e deixou no prejuízo milhares de empregados, pacientes e fornecedores. É bom lembrar que a Imbra é apenas a ponta do iceberg. Agora é correr atrás do prejuízo.

Muitos cirurgiões-dentistas com contratos celetistas foram transformados em pessoas jurídicas, passando a emitir notas fiscais com CNPJ próprio sob o controle da Receita Federal.

Esta entrada foi publicada em Notícias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.